League of Legends: Ligas & Ana Maria Braga!

Por Luísa


Olá, Invocadores! (Ou não)
Faz um bom tempo que o League of Legends tem crescido absurdamente no cenário competitivo. E, neste ano, em particular, o crescimento foi enorme, e... sim! Vocês, queridos invocadores, que curtiam assistir LCS's e afins, terão agora, com prazer, duas ligas no Brasil para acompanharem. A Agência X5 e a Riot estão nos dando essa incrível oportunidade, então bora entender melhor isso! (Caso queira entender SÓ sobre League of Legends na Ana Maria Braga, vá pro fim do post!)

[RIOT] Circuito Brasileiro de League of Legends
Nessas últimas semanas, a Riot anunciou o circuito, que começará com a Liga Brasileira de League of Legends. De abril a junho, seis equipes se enfrentarão em cinco rodadas semanais, em sistema de pontos corridos, com premiação total de R$ 100 mil. A primeira etapa será realizada em Porto Alegre, nos dias 26 e 27 deste mês. Depois, nas quatro semanas seguintes, os confrontos acontecerão pela internet. Haverá sete confrontos por semana, às quartas-feiras e domingos. Cada confronto é composto por duas partidas. Se um time vencer a partida, soma 3 pontos na classificação. Em caso de empate, as duas equipes recebem 1 ponto. Ao final da fase de pontos corridos, as quatro equipes mais bem classificadas garantem vaga para a fase final da liga, em Fortaleza, dia 7 e 8 de Junho, onde disputarão o título.



CONFRONTOS DE ETAPA DE ABERTURA DA LIGA (Porto Alegre)
Sábado (26/4)
11h – CNB e-Sports Club vs paiN Gaming
13h – KaBuM vs Team United
15h – Keyd Stars vs Team AWP
17h – CNB e-Sports Club vs KaBuM

Domingo (27/4)
11h – paiN Gaming vs Team United
13h – Keyd Stars vs KaBuM
15h – CNB e-Sports Club vs Team AWP
17h – paiN Gaming vs Keyd Stars

Caso você esteja interessado, pode comprar ingressos para assistir partidas em Porto Alegre clicando AQUI!  Haverá stream no canal da Riot Brasil. Os narradores serão Diego “Toboco” Pereira, Guilherme “Tixinha” Cheida e Gustavo “Melao13” Ruzza, com análises de Gustavo “gstv1” Cima e Diego “Lunacy” Oliveira.

Regional Brasileira
Além desta Liga, haverá outra no segundo semestre deste ano, a qual se chamará Regional Brasileira. O primeiro torneio será online. Depois, São Paulo receberá uma etapa presencial no Espaço das Américas. E a Grande Final acontece no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, com capacidade para 10 mil espectadores. O vencedor da Regional terá a honra de representar as cores verde-e-amarelo no torneio de novas regiões (Brasil, América Latina, Turquia, Rússia e Oceania), que garante vaga para o Campeonato Mundial, na Coreia do Sul!

[Agência X5] Brazil Gaming League 
A Agência X5 não ficou para trás e anunciou que, a partir deste ano, terá três ligas competitivas nas modalidades League of Legends, Combat Arms e Cross Fire - ou seja, será a "Brazil Gaming League" em novo formato! 

A BGL passará a ser disputada em duas temporadas por ano, cada uma com duração de aproximadamente dois meses e meio. Seis equipes participam da primeira fase, disputada pela internet e com confrontos semanais, sendo quatro convidadas pela organização e duas classificadas por meio de um qualify, também online. Serão três dias de disputas – um para cada modalidade – na semana. Em cada dia, haverá dois confrontos, em md2. O time vencedor conquista 3 pontos. Se houver empate, ambos somam 1 ponto. O sistema de pontuação é o mesmo utilizado pela OGN, liga profissional de League of Legends da Coreia do Sul.


Cada equipe joga uma vez com cada um dos cinco adversários. Os dois times com mais pontuação, ao final da fase online, se classificam diretamente para a etapa presencial, na Arena X5, em São Paulo. Os outros quatro times disputam as duas vagas remanescentes. Ou seja, o último colocado, mesmo se não tiver somado nenhum ponto ao longo da etapa online, tem chances de disputar o presencial, desde que vença o confronto playoff. 

A premiação ainda não foi divulgada, mas, segundo organizador do evento, Marcos Lameirinhas, será maior do que a distribuída atualmente, de R$ 10 mil. Os jogos de League of Legends serão às segundas-feiras, os de Combat Arms às terças e os de Cross Fire às quartas, sempre a partir das 18 horas. Não estão definidos os times que serão convidados pela organização. Somente equipes brasileiras podem participar da BGL.

E... WHAT, ANA MARIA BRAGA?
Pois é, caros leitores. Nessa segunda-feira, durante o programa "Mais Você", houve uma matéria todinha a respeito do cenário competitivo de League of Legends. Filmaram a Gamer House da Keyd e da CNB, entrevistaram os jogadores e... ao vivo e a cores: Gabriel "Kami" e Bruno "Bit"! Confira:


Leia mais »

Black Desert Online

Por Juliana Chislu

Conheça o novo MMORPG que promete quebrar os conceitos já existentes de uma boa aventura!

Leia mais »

[Tédio de Domingo] Home Sheep Home

Por Ana Raquel

Oii pessoas! \o/ Como estão? Entediadas? Cansadas de jogar League of Legends os mesmos jogos de sempre? O The Pink Geeks te entende! E melhor ainda, soluciona a sua crise!

Todo domingo, traremos pra vocês dicas de jogos viciantes (não contem pras mães!) que rodam no browser ~adeus download~ e te ajudarão a não estudar passar horas maravilhosas de entretenimento descompromissado. E a nossa primeira dica é o fofíssimo game HOME SHEEP HOME! Sim, é sobre ovelhas. Não, não é um Goat Simulator da vida.

Home Sheep Home é um jogo onde você deve guiar Shirley, Shaun e Timmy de volta ao celeiro, utilizando as setas e trocando entre eles (tecla 1,2 e 3, respectivamente).

“Ok Ana, agora nos diga qual a graça?”

Simples, são ovelhas e eu adoro ovelhas! *-* Mentira, galera. Ou não. A graça está no fato de que pra cumprir sua missão, é necessário passar por vários percursos, resolvendo puzzles e exercitando sua massa cinzenta! O jogo conta com apenas 15 níveis, não é muito demorado e, além disso, você tem a opção de jogar com ou sem pistas. Use e abuse dos itens disponíveis e dos tamanhos de cada ovelha, que a habilita para coisas diferentes em cada nível.


Se quiser tentar, corre AQUI!



Eu fiz 25.687 pontos, e vocês?

Leia mais »

[Review] Capitão América 2

Por Juliana Truite

Quando eu saí do cinema, admito que a vontade de entrar na fila pra assistir mais uma vez a nova aventura do Capitão Rogers foi grande. Se não fosse pelo detalhe da grana e das horas de sono que me fariam falta no dia seguinte, eu com certeza me sentaria naquela sala congelante, ar condicionado maldito, por mais duas horas e meia na maior felicidade.

Eu adoro a nova safra de filmes da Marvel, que começou gloriosamente com Iron Man e rendeu coisas lindas como Avengers e Thor: The Dark World. E vou ser honesta, Capitão América 2: The Winter Soldier entra fácil no pódio das melhores peças desse arsenal cinematográfico.

Uma das grandes virtudes desse filme é a capacidade de agradar fãs inveterados e novos consumidores igualmente. É certo que os neófitos perderam algumas referências, mas não conhecer a saga do Soldado Invernal dos quadrinhos não acarreta em perda de sentido ou de emoção. Um exemplo simples é comparar a reação do meu noivo (fã do Capitão desde os 5 anos) e a minha à menção do nome de uma personagem introduzida no filme. Ele imediatamente soube quem ela era e qual era a sua relevância; para mim foi apenas uma personagem do filme que eles poderiam usar numa possível sequência. Ah, a personagem era a Sharon Carter. (SPOILER! selecione para ver o texto)


O filme em si é muito mais do que eu esperava. O Capitão América, como personagem, sofre de um mal comum: a simplificação quando fora de seu habitat natural. Enquanto nos quadrinhos ele tende a ser mais amplamente caracterizado, nas demais mídias ele é sempre taxado de eterno bom moço, sem sal e seguidor cego das leis e ordens. O filme faz questão de contrariar esse senso comum e explora diversas vezes questões que definem o personagem mas são constantemente esquecidas, como o fato de ele ser um homem fora de seu tempo, de que seus valores como pessoa e como herói estão ultrapassados, de que todos os seus amigos e entes queridos morreram ou estão muito velhos, o fato de que ele é um símbolo construído e que deve conciliar isso com suas decisões e atitudes pessoais.


Caderno em que Steve anota as coisas que precisa conhecer. Na versão nacional Xuxa e Mamonas Assassinas
 constam na lista!
Visualmente, é possivelmente o filme mais bonito e empolgante da temporada. As cenas de luta foram coreografadas de forma magistral e usam os pontos fortes de todos os personagens: escudo para o Capitão, chutes e acrobacias para a Viúva Negra, e o Soldado Invernal abusando de seu maneiríssimo braço mecânico. Além, é claro, de tiros e explosões para todos os gostos.

Os personagens ajudam a construir o universo de forma natural e ligam o filme aos demais das franquias Vingadores. Além de menções bem colocadas a personagens do primeiro longa do Capitão e da presença dos agentes da SHIELD que já conhecíamos, os novos personagens foram ótimas adições ao elenco. Tanto a moça citada anteriormente quanto Sam Wilson, o Falcão, estão no roteiro não apenas para ajudar no desenrolar da trama mas também para delinear e aprofundar as relações de Rogers com o novo mundo ao qual ele ainda está se adaptando.

Em suma, o filme traz um apelo visual fortíssimo, um enredo bem mais interessante e complexo do que se espera de um blockbuster de super herói, além personagens carismáticos e bem articulados entre si. E, seguindo a tradição, a cena extra levou todos no cinema ao delírio com a aparição de personagens muito queridos e esperados pelos fãs. Aos mais impacientes, eu recomendo um pouco de calma na hora de sair da sessão por que depois dos créditos técnicos tem uma segunda cena extra, curta, mas que vale a pena.

Se você é fã do herói congelado ou se só quer algumas horas de diversão, Capitão América 2 é exatamente o que você precisa.


Leia mais »

Sailor Moon Brasil: arte em nome da lua!

Por Juliana Chislu

Diversas artistas brasileiras se reuniram para comemorar e homenagear os 20 anos de Sailor Moon.

Leia mais »

Já ouviu falar de Child of Light?

Por Ana Maria

 Num tempo em que a corrida por tecnologia domina o mundo dos games é especial e raro encontrar um jogo como Child of Light da Ubisoft.  Produzido pelos mesmos criadores de Far Cry 3, o jogo, que tem lançamento no dia 30 de abril, traz em sua composição arte, poesia e aventura. Child of Light custará R$35,00 e estará disponível para as plataformas  PC, Playstation 3, Playstation 4, Wii U, Xbox 360 e Xbox One.

Leia mais »

Man at arms - Blacksmith

Por Alice

Já ouviu falar de Man at arms? Tá esperando o que para conhecer?? Tony Swatton (esse cara simpático da foto) faz vídeos dele forjando as armas dos seus filmes, séries, comics ou games preferidos! Os vídeos são simplesmente sensacionais!! Toda segunda ele lança um vídeo novo atendendo à demanda dos fãs para sua próxima obra. O cara é simplesmente foda! Dá só uma olhada

Vídeo dele forjando a Master Sword

Em homenagem a GoT, a espada do Jaime Lannister

A keyblade de kingdom hearts <3

Enfim, o trabalho do cara é incrível e vale a pena saber mais! Para quem se interessou, ele tem um canal no youtube super bacana e um site pessoal onde ele exibe armaduras, armas e fantasias fabricadas por ele que podem ser alugadas e/ou compradas! Além disso, é ele que faz as armas para a maioria dos filmes e séries de TV que a gente vê por aí, apesar de não ter sido creditado em vários deles (imagina o trabalhão que ele deve ter para forjar as armas, no mínimo o nome nos créditos ele merece ahhaha).

Leia mais »

Let me tell you about Homestuck

Por Juliana Truite


O que essas crianças cinza fazem aqui?!

Um dia eu acordei e o tumblr e deviantart estavam cheios de alienígenas chifrudos cinzentos presos em casa. Foi assim que eu conheci uma das experiências mais maneiras que a internet pode oferecer!

O início arrastado da comic, principal reclamação dos iniciantes, não impediu que eu e outras milhões de pessoas nos apaixonássemos pela épica saga dos amigos John Egbert, Rose Lalonde, Dave Strider e Jade Harley destruindo e salvando o mundo com a ajuda de um elenco ridiculamente grande de personagens ridiculamente carismáticos.

Falar de Homestuck sem dar spoiler é uma tarefa difícil, ainda mais depois de mais de 6.000 (yes baby, seis mil) páginas. Entre quadros estáticos, animações em flash, clipes musicais e jogos interativos, a história evoluiu e ficou tão complexa (leia-se: confusa) que qualquer ponto citado ou é insatisfatório ou uma grande revelação.
Olhe nos olhos do Lil'Cal e tenha uma grande revelação.

Mas então por que escrever um artigo sobre algo que não se pode falar? Por que Homestuck é muito mais do que apenas a história contada. É, de fato, uma experiência. Homestuck nasceu na internet, pela internet e para a internet e nenhuma outra mídia suportaria todos os formatos e opções que nosso Senhor e Salvador Andrew Hussie incluiu na sua obra.

A começar pelo modelo original na qual a história se desenvolvia com a ajuda direta do público. O formato persistiu por alguns meses, mas quando os leitores saíram da casa (hun hun, sacaram o trocadilho?) das centenas e foram pras centenas de milhares, o autor voltou a uma forma mais tradicional de decidir o roteiro. Isso significa que ele passou a ignorar os fãs? Nope! É fácil vê-lo interagindo com o fandom e usando ideias sugeridas no fórum oficial, tumblr, twitter e demais mídias sociais. A interação autor/público é tanta que até mesmo fanarts e fotos de cosplayers foram incluídas nos painéis da comic.

Painel de Fevereiro de 2013 conta com fanarts e cosplayers


A força de Homestuck vem de seus fãs que, com o bordão "Let me tell you about Homestuck!", invadiram convenções e redes sociais como uma tsunami cinza. Se você frequenta o tumblr com certeza já se deparou com uma referência ao comic mesmo em tópicos completamente não relacionados e sabe do que estou falando.

A influência é tanta que mesmo sem a participação das mídias de massa tradicionais, o kickstarter para um adventure game conquistou a meta inicial de U$ 700.000,00 em apenas 32 horas. Agora com quase de U$ 2.500.000,00 e diversas metas secundárias cumpridas, é o sexto kickstarter mais bem sucedido da história. Mais de um fã doou a quantia de U$ 10.000,00 para ter seu personagem imortalizado nas páginas da comic (pena que eles não doaram U$ 100.000,00 o que garantiria a sobrevivência dos fantrolls...).

Nesse momento, Homestuck está em hiato. Desde outubro do ano passado que a história está sem atualizações pois o autor está se dedicando ao Mega UPD8, o grand finale daquela que é hoje sua obra de maior repercussão. Depois de quatro anos de atualizações intensas, em número e qualidade, saber que o fim está próximo traz sentimentos de tristeza mas também de orgulho e realização. Se quando foi lançado Homestuck era um ponto fora da curva, hoje é exemplo para diversos autores e artistas que sonham em fazer a internet seu lar.

É certo que depois do fim de Homestuck, Hussie se dedique a novas histórias. Mas caso ele resolva fazer outra coisa da vida, não sei do que sentiremos mais falta: da sua genialidade, ou dos seus lábios carnudos.

Andrew Lábios Carnudos Hussie




Leia mais »

Como não amar Dragon Age: Inquisition?

Por Lytah.


Ahoooy pessoas! Abandonei o Aloha depois de ser traumatizada com o vídeo da menininha do Ahola oks?

Sei que sou suspeita para falar porque sou fangirl da Bioware, mas depois de tantas reclamações de ~bullying~ que o último Dragon Age sofreu, parece que a desenvolvedora está realmente empenhada em trazer aos fãs um jogo incrivelmente bom. Não sei se já viram as novidades, mas depois de ver vídeos, imagens e informações fiquei bastante empolgada! Vou compartilhar com vocês e espero que se animem comigo <3

Em um dos fóruns da Bioware o assunto entre alguns usuários não é outro senão a possibilidade de cerca de 40 finais diferentes. Quem conhece os jogos da empresa sabe que ela é mestre em oferecer opções diversas de end game ao público. Com cinco regiões principais (Ferelden, Orlais, The Free Marches, Nevarra e Dales), há cenários diversificados e com gráficos impressionantes (coisa que no jogo anterior deixou a desejar), como um cemitério élfico e uma zona de guerra. Além disso o jogador pode ter influência nesses ambientes, modificando ecossistemas, estabelecendo rotas de comércio e dominando territórios. Reitero que essas informações não são extremamente oficiais e nem 100% confirmadas, mas é palavra de fãs e de quem manja, então dá para ter um pouco de fé nisso, né?



Especula-se que a história provavelmente terá início com a guerra civil em Orlais e o jogador terá a missão de investigar o que está acontecendo. Uma guerra civil parece pouco para você? Ok! Então que tal um portal que libertará demônios? É, agora a porra ficou séria as coisas ficaram mais interessantes. Outro detalhe que sempre esteve presente nos jogos anteriores e se mantém são os personagens secundários, que acompanham o protagonista e são ótimas opções para interação e desenvolvimento de relacionamentos e da história.  E para a alegria da ~galero~, o foco será maior no mundo aberto, com muuuuuitas missões para completar - e os fãs de Skyrim piram nessa também!



Você pode evoluir seu personagem,  aumentar seu exército de inquisição através de diversos métodos (por exemplo: conexões, troca de favores, chantagens e afins). O tamanho do seu exército influenciará na dominação de castelos também, caso você tenha um grupo pequeno as chances de ser aceito ou dominar um novo castelo são menores (ok, eu sei que isso é lógico, mas o jogo ter essa "percepção" é bem legal, não?). O legal é que um modo multiplayer não foi completamente descartado, então temos esperança \o/



Outro detalhe bastante interessante é referente a fauna e a flora do jogo. Detalhes que na maioria dos jogos são cenário e sem possibilidade de grandes interações, no novo Dragon Age haverá um papel importante na trama. Além de trazer novos desafios e inimigos, o jogador poderá encontrar  material para a confecção de itens. O jogo coloca outra responsabilidade na mão do player: você está ligado ao ecossistema local e dependendo das suas ações pode extinguir uma espécie e desencadear uma crise na cadeia alimentar local.



E para quem ficou curioso (a) - e com lombrigas para jogar logo! - confira um trailer do jogo e alguns minutinhos generosos de gameplay, que é tudo muito amor <3





A previsão de lançamento de Dragon Age: Inquisition é para o final de 2014 para PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360, Xbox One e PC.

Quem aí ficou animado para jogar? Quais das novidades você mais gostou?

Final de 2014 venha logo, pl0x!

Fonte e imagens: Omelete

Leia mais »

Primeiro de Abril! Google coloca Pokémons no App "Google Maps".

Por Luísa

Google resolveu fazer uma brincadeira envolvendo nossos queridos e nostálgicos Pokémons e seu app "Google Maps" no Android e iPhone. É uma campanha para o recrutamento de "Mestre Pokémon", e, segundo o vídeo abaixo promocional, haverá um processo de seleção entre todos que conseguirem zerar a Pokédex até a data limite - que é no dia 2 de Abril. Após isso, a Google vai oferecer o emprego de "Mestre Pokémon" ao escolhido no processo. Essa parte é uma brincadeira, mas a diversão é garantida! 


TUTORIAL: ENTRE TAMBÉM NESTE MUNDO PARALELO!
Quando você captura um Pokémon, você ganha acesso à Pokédex e pode conferir uma lista com os 150 Pokémons espalhados por todo o mundo. Segue o passo-a-passo para acessar este "mundo paralelo" criado pela Google:

1- Abra o app do Google Maps (devidamente atualizado) no seu Android ou iPhone.
2- Clique no campo de buscas. Eventualmente, vai aparecer uma caixinha com uma Pokébola azul logo abaixo, escrito “press start”. Clique, e boa diversão!


POKÉMONS NO BRASIL!
Pois é, achou que o Brasil não entraria nessa?! Lá em Brasília pode ser visto um enorme Snorlax atrapalhando o trânsito da nossa capital. Alguém aí tem Poké Flute para salvar o trânsito?! Hehehe!


E que tal estes outros que achei pelo meu celular? PROCURE TAMBÉM! :)

image host image host image host image host image host image host image host

Leia mais »